Há abusos, não há é “abusados”

Jul 19, 2019 | COISAS DO PORTUGUÊS

Infelizmente, é comum testemunharmos na comunicação social frases como “as pessoas foram abusadas”.

Infelizmente por 2 razões!

A primeira, mais importante, é porque existem pessoas que sofrem abusos por parte de outras. Isso é infeliz numa sociedade que não sabe, claramente, proteger aqueles que, por diversas razões, não se saberão defender a eles próprios.

A segunda é porque utilizar o verbo abusar na voz passiva, com o verbo auxiliar ser, está incorreto e não se pode escrever (ou dizer).

 

Vamos começar do princípio, com 2 conceitos de gramática do 9º ano de escolaridade. Sim?

Conceito 1 – Voz ativa & Voz passiva

Voz ativa : “Eu escrevo este texto.”
Voz passiva : “Este texto é escrito por mim.”

Portanto, na voz ativa, o sujeito exerce uma ação sobre algo. É, por isso, ativo, porque se fala na voz de quem faz.

Na voz passiva, uma ação é exercida pelo sujeito a esse algo. É passiva, porque se fala da ação realizada.

 

Conceito 2 – Regências verbais

A regência é a relação de dependência entre um verbo e o seu complemento, através da presença de uma proposição (ou não, mas para o caso do verbo abusar vamos considerar assim).

Ex: gostar de, abusar de, aperceber-me de, etc…

São, nestes casos, verbos que obrigam à utilização de proposições (como a palavrinha de) para poderem fazer sentido.

Compreendem que não é possível utilizar o verbo gostar sem a preposição de. “Eu gosto ti”, “Gosto bananas”, etc. São tudo frases giras, mas sem sentido nenhum.

Ora, diz a nossa gramática que não é possível colocar na voz passiva um verbo que na voz ativa obriga a uma regência.

Confirmemos:
“Eu gosto de ti” (voz ativa) – “Tu és gostada por mim” (voz passiva errada)
“Eu apercebo-me de algo” (voz ativa) – “Algo é apercebido por mim” (voz passiva errada)
“Eu abusei de alguém” (voz ativa) – “Alguém foi abusado por mim” (voz passiva errada. Sim, errada!)
“Abusaram de alguém” (voz ativa) – “Alguém foi abusado por alguém” (também errado!)

Mais?
Outros verbos, por exemplo, são regidos pela preposição a. Quer dizer que sem ela não fazem sentido (experimentem!).
“Eu assisto a um debate” (voz ativa) – “Um debate foi assistido por mim” (voz passiva errada)
“Eu obedeço a alguém” (voz ativa) – “Alguém é obedecido por mim” (voz passiva errada)
“Eu vou a um local” (voz ativa) – “Um local é ido por mim” (!?!? – voz passiva errada)

Ora, se concordam que todos os casos acima estão errados, mas continuam a achar que abusadas não vos soa assim tão mal, não se preocupem. É culpa da comunicação social, que passa a vida a utilizar esta expressão, tornando-a “normal” para os nossos ouvidos, de tanto a ouvir.

O correto será dizer que “pessoas sofreram abusos”, “pessoas foram vítimas de abusos”, “pessoas foram violadas” (se o sinónimo se aplicar no contexto), etc.

 

A partir de agora, ao ouvir que “pessoas foram abusadas”, se vos parecer esquisito, já sabem por quê.

OUTRAS COISAS QUE TENHO DITO

Como se cria uma pessoa racista?

Como se cria uma pessoa racista?

Como se cria uma pessoa racista? - Nota introdutória Acerca deste texto sobre como se cria uma pessoa racista, é importante esclarecer desde já que este artigo só pode ser lido por criaturas que consigam distinguir conceitos como compreender, aceitar, concordar, etc....

Coisas que aprendi depois de 10 dias sem telefone

Coisas que aprendi depois de 10 dias sem telefone

Como são capazes de ter visto nas redes sociais, espatifei o vidro do meu iPhone. (gosto de dirigir-me no plural, como se houvesse mesmo mais do que uma pessoa a ler isto e que essa pessoa não fosse eu...) Nada de entusiasmante, como tudo aquilo que me acontece....

As coisas importantes da vida acontecem num segundo

As coisas importantes da vida acontecem num segundo

As coisas importantes da vida acontecem num segundo! Sempre tive esta convicção, que está intimamente ligada à 4ª dimensão: o tempo. Cada segundo é um acontecimento completamente diferente do anterior e do seguinte, e por isso torna-se em algo isolado. O que faz com...