É dos que foram. Porque há vários que foram.

Mar 22, 2020 | COISAS DO PORTUGUÊS

Língua portuguesa aplicada ao futebol

Tenho a noção de que só a apresentação do título deste primeiro parágrafo é contraditório. Língua portuguesa e futebol na mesma frase são coisas complicadas de conciliar, visto que a maior parte dos intervenientes deste universo desportivo tem dificuldades em saber bem que língua devem falar. Não? Vejamos então:

  • Comigo ou sem migo…” – João Pinto, jogador do FC Porto
  • O meu coração só tem uma cor: azul e branco” – mesmo autor
  • Estamos felizes porque estamos contentes” – mesmo autor (wtf?!)
  • Clássico é clássico, e vice-versa” – Jardel, jogador do Sporting e FC Porto
  • O difícil, como vocês sabem, não é fácil” – mesmo autor
  • Vamos jogar ao ataque, fechadinhos lá atrás” – Pacheco, treinador do Boavista
  • Jogar à defesa pode ser uma faca de 2 legumes” – mesmo autor
  • Nós somos humanos como as pessoas” – Nuno Gomes, jogador do Benfica
  • É um estádio bonito, moderno, arejado” – Gabriel Alves, RTP
  • Vou dar o meu melhor de mim” – Rui Barros, jogador do FC Porto

E o maior de todos os tempos, JJ, diria coisas como:

  • Ainda dou-le a dúvida nesse lance
  • O único campeonato da Europa que está em andamento é o campeonato brasileiro
  • Saímos vencedores. Não sofremos zero golos
  • Isso não coloca-se na cabeça dos jogadores
  • É peaners para nós“, embora esta seja um atentado à gramática inglesa

Relativamente ao tema que nos trouxe cá hoje

Bom, este apontamento humorístico serviu, de forma clara, parece-me, para mostrar que o futebol e a língua portuguesa não querem nada um com o outro.

E isto não interessa para nada para o post de hoje. Principalmente porque o tema de que venho falar não tem nada que ver com futebol.

Acontece que é comum ouvir-se dizer:

“O jogador X é um dos que foi convocado.”

E isto está errado. Às vezes, está errado pelo simples facto de esse jogador ter sido convocado. Se se tratar do Seferović, por exemplo. Mas o principal erro nem está aí.

A formulação correta desta frase é:

“O jogador X é um dos que foram convocados.”

No plural! Pumba! Toma! Enche! Chup….

Por que é que é no plural?! Porque estamos a falar de um jogador que faz parte de um conjunto de vários jogadores. Há vários jogadores que foram convocados e este é um deles.

Teoria sobre isto, sim?

Ora, se se lembram, as orações em português têm, na forma mais simples:

Sujeito + Verbo + Complemento

Se separarmos as duas orações da frase “O jogador X é um dos que foram convocados.” vamos encontrar qualquer coisa deste género :

“Há jogadores que foram convocados.”
Sujeito = jogadores
construção verbal = foram convocados

“O jogador X é um deles.”
Sujeito = jogador X
Verbo = é

Então, quando juntamos as duas orações para criar a frase, não podemos perder de vista que verbo corresponde a qual sujeito.

O verbo ser (é) continua a ser associado ao jogador X e o verbo ser convocado (foram convocados) continua a estar associado ao grupo de jogadores.

Vai daí que deva dizer-se “O jogador X é um dos que foram convocados.“.

Por definição, ser “um dos que”, ou “um daqueles que”, é pertencer a um grupo. Fazer parte dele. É por isso perfeitamente possível substituir “ele é um dos que” por “ele faz parte dos jogadores que“, para ter a frase:

“O jogador X faz parte dos jogadores que foram convocados”.

Nesta altura, deve ser claro para todos que não é possível ter, em português, “O jogador X faz parte dos jogadores que foi convocado”.

Por isso, quando se emprega “um dos que”, o verbo da oração seguinte deve ser conjugado no plural.

Querem mais exemplos?

  •  “… Mamadu Sadio Baldé, um dos que tem votado…”. A oração correta deveria ser “um dos que têm votado. Há vários que têm votado e ele é um deles. Faz parte dos que têm votado – Jornal Público
  • O setor da restauração é um dos que mais sente os impactos do novo coronavirus…“. A oração correta seria “…um dos que mais sentem o impacto…” – Jornal Observador
  • O Aura Lisboa é um dos que continua de portas abertas…”, onde deveria estar “…é um dos que continuam de portas abertas…” – Jornal Sol

Cada jornal citado acima é um dos que não escrevem (no plural) esta construção verbal corretamente 🙂

Se doravante vos sagrarem os ouvidos quando alguém disser “ele é dos que foi…” já sabem porquê. É porque está errado.

Pronto, era isto. Saudinha e se precisarem de alguma coisa… comprem.

OUTRAS COISAS QUE TENHO DITO

Como se cria uma pessoa racista?

Como se cria uma pessoa racista?

Como se cria uma pessoa racista? - Nota introdutória Acerca deste texto sobre como se cria uma pessoa racista, é importante esclarecer desde já que este artigo só pode ser lido por criaturas que consigam distinguir conceitos como compreender, aceitar, concordar, etc....

Coisas que aprendi depois de 10 dias sem telefone

Coisas que aprendi depois de 10 dias sem telefone

Como são capazes de ter visto nas redes sociais, espatifei o vidro do meu iPhone. (gosto de dirigir-me no plural, como se houvesse mesmo mais do que uma pessoa a ler isto e que essa pessoa não fosse eu...) Nada de entusiasmante, como tudo aquilo que me acontece....

As coisas importantes da vida acontecem num segundo

As coisas importantes da vida acontecem num segundo

As coisas importantes da vida acontecem num segundo! Sempre tive esta convicção, que está intimamente ligada à 4ª dimensão: o tempo. Cada segundo é um acontecimento completamente diferente do anterior e do seguinte, e por isso torna-se em algo isolado. O que faz com...